Skip to main content

Couchsurfing: Me hospedando na casa de pessoas desconhecidas pelo mundo

Dormir na casa de um completo desconhecido? Um cara que mora sozinho num país estranho? Deu medo. Com certeza.

Para quem não conhece, o couchsurfing é um website que conecta moradores (locais) com turistas com o objetivo de trocar experiências e é um suporte para quem está de passagem.

Funciona de duas formas basicamente: Você pode se registrar com o objetivo de encontrar anfitriões (ou pode ser o anfitrião para um viajante) ou de encontrar atividades.

Se estiver procurando por acomodação faça uma pesquisa com antecedência. Busque por anfitriões na cidade que está indo e informe o período. É possível fazer alguns filtros (sexo, língua, tipo de acomodação) e no final envie solicitações individuais ou divulgue sua viagem para todos daquela cidade e espere por um convite. Eu não sei o porque mas para mim só uma vez consegui uma resposta positiva de uma solicitação individual. Todas as outras foram por meio de divulgação da viagem.

Pensei várias vezes antes de enviar meu primeiro pedido. Estava muito preocupada. Mas li bastante e resolvi arriscar.

No próprio site é possível ver referências (positivas e negativas) sobre as pessoas que estão registradas. Então, antes de fazer um pedido ou sair junto, leia as referências e converse com as pessoas. Por aí já é possível ter uma idéia do que você vai encontrar.

Sobre as minhas experiências? Tive duas quase experiências ruins, uma chata e tive várias ótimas experiências. Vou contá-las depois 😊

Sobre as minhas quase má experiências, desisti antes de ir. Graças as conversas com os hosts, percebi que as intenções não eram das melhores. Hehe. Falando assim parece bem perigoso mesmo. Mas eu sobrevivi.

Tive uma experiência chata. O cara já atendeu a porta falando que não deveria ter me aceitado porque já tinha tido más experiências com brasileiras. Aí já viu né? Por mais que eu fizesse nunca seria suficiente.

Mas tive grandes experiências também. Teve um gente boníssima que me esperou num ponto de ônibus num frio do inverno europeu por 1h. Aí quando eu cheguei pedindo mil desculpas, ele disse que não tinha problema e que a culpa pelo atraso do ônibus não era minha. Teve um bonitão que me contou os vários casos que teve com brasileiras. Teve a francesa que me recebeu com muito carinho, dirigiu por 2h só para me buscar e rodou comigo pelas vilas no interior da França por alguns dias. Teve o cara que dirigiu até o aeroporto de uma outra cidade para me buscar as 6h da manhã, me entregou a chave da casa dele e falou: Estou indo trabalhar. Você pode ficar a vontade (como assim? Isso nunca ia acontecer no Brasil). E para finalizar, o cara que me apresentou o couchsurfing. Esse acabou me hospedando mais do que o planejado e me aguentando mais do que imaginávamos.

Apesar de várias pessoas acharem que se hospedar com locais é uma opção pensando em fazer economia, se hospedar com locais é muito mais do que isso. Você sozinho num hotel ou em grupo de turistas num hostel nunca vai ter a oportunidade de conhecer aqueles restaurantes escondidos na cidade ou viver como eles ou visitar aqueles locais que só eles conhecem. É incrível.

4 thoughts to “Couchsurfing: Me hospedando na casa de pessoas desconhecidas pelo mundo”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: